Métodos de controle intestinal

Sobre

Método de Irrigação do Cólon

Técnica de irrigação

A técnica de irrigação é constituída por três fases: (BORGES; RIBEIRO, 2015; PAULA; CESARETTI, 2014c; SANTOS; CESARETTI; LIMA, 2015):

10 a 20 min

De drenagem ou descarga: geralmente ocorre imediatamente após a primeira fase e leva de 10 a 20 minutos.

5 a 10 min

De fusão da água: dura de 5 a 10 minutos.

30 a 45 min

De drenagem residual: dura de 30 a 45 minutos.

Passo a passo: 1ª Fase

1

Preparar kit de irrigação e o ambiente no qual será realizado o procedimento (banheiro ou sala de enteroclisma). Solicitar ao usuário que retire e descarte o dispositivo coletor, realize a limpeza da estomia e pele periestomia, conforme rotina habitual.

2

Adaptar a bolsa drenadora na estomia, fixando -a ao abdome por meio do cinto elástico ajustável.

3

Introduzir água a temperatura de 37°C no recipiente do irrigador, em um volume de 500 a 1500 ml de acordo com a avaliação do ET.

5

Fixar o irrigador em suporte de pedestal ou na parede, facilitando a visibilidade do usuário, com a base ao nível dos seus ombros, ou no máximo 10 cm a 20 cm acima, na posição em pé ou sentado, conforme preferência do treinando.

4

Retirar o ar do sistema e fechar a válvula para controle do fluxo.

6

Colocar a extremidade inferior da manga drenadora dentro do vaso sanitário.

7

Lubrificar o cone e introduzir com movimentos rotatórios na estomia através da abertura da bolsa drenadora. Deve ser introduzido até o nível que não haja vazamento de água (2 cm a 2 cm).

8

Abrir a válvula de controle e deixar fluir a água em velocidade constante por 5 a 10 minutos. Caso a água fique parada, verificar se o orifício do cone não está posicionando contra a parede intestinal. Observar reações do trinando durante a infusão como cólicas, mal estar, sudorese e vertigens.

9

Fechar a válvula de controle ao término da água, evitando a penetração de ar no cólon. Retirar o cone da estomia, fechando imediatamente a abertura superior da manga drenadora com a presilha.

10

Massagear a região abdominal do treinando para auxiliar drenagem que ocorrerá em sua maior parte neste período. Lavar a parte interna da manga drenadora com a extensão do chuveiro ou a água de um jarro.

5 a 10 min

Passo a passo: 2ª Fase

1

Massagear a região abdominal do treinando por 10 a 20 minutos para auxiliar drenagem que ocorrerá em sua maior parte neste período. Lavar a parte interna da manga drenadora com a extensão do chuveiro ou a água do jarro.

2

Fechar com presilhas as partes superior e inferior da manga.

Passo a passo: 3ª Fase

1

Solicitar ao treinando que desenvolvendo atividades que favoreçam a drenagem residual; por exemplo, andar, alimentar-se ou permanecer sentado fazendo massagens abdominais. Após este período esvaziar e retirar a manga drenadora.

2

Solicitar ao treinando que preceda a limpeza da estomia e pele periestomia, conforme a própria rotina.

3

Adaptar a bolsa de estomia fechada ou oclusor/obturador de colostomia, conforme orentação do enfermeiro.

É importante que, ao término das orientações, seja fornecido um guia de resolução de complicações que podem surgir durante a realização da irrigação. As intercorrências possíveis são apresentadas no quadro abaixo.

Manifestações
Ocorrem por
Como proceder
Reação vagal (bradicardia e hipotensão)
Distensão colônica, sendo mais comum no início do treinamento.
Suspender imediatamente a irrigação. O paciente deve ser colocado na posição supina.
Dor abdominal em cólica
Infusão rápida ou baixa temperatura da água.
Interromper momentaneamente o procedimento até que a dor cesse.
Retenção da solução infundida
Tensão prévia ao procedimento ou estado de hidratação inadequado.
Utilizar equipamento coletor até o dia seguinte e aumentar a ingesta hídrica.
Perdas fecais nos intervalos das irrigações
Questões alimentares, emocionais, medicamentosas ou de ordem técnica relacionado com o procedimento.
Procurar o enfermeiro ET ou enfermeiro treinado para ajustamento da técnica.
 

A restauração da continência em pessoas com colostomia tem sido considerada etapa importante na reabilitação. Pois, permite o controle das eliminações intestinais por meio de oclusor/obturador e pelo sistema de irrigação da colostomia. (BORGES; RIBEIRO, 2015; HAHIMOTO; RODRIGUES, 2012; PAULA; CESARETTI, 2014c; SANTOS; CESARETTI; LIMA, 2015).

Oclusor/Obturador
Sistema de irrigação da colostomia